sábado, 27 de agosto de 2016

Alguém ainda usa estabilizador de tensão de rede elétrica?

Estabilizador de tensão manual era um item comum na minha infância. 

Fonte da foto: Hardware
Era um dispositivo com um voltímetro ferro móvel e uma chave rotativa. Internamente, havia um autotransformador com várias saídas, sendo uma delas selecionada através da chave. Com isto, poder-se-ia ajustar a tensão da rede para valores adequados aos aparelhos que estava sendo alimentado (especialmente a TV). Foi uma época em que as concessionárias de eletricidade não seguiam padrões mais rígidos de qualidade de oferta de energia elétrica. A situação era agravada por instalações residenciais mal dimensionadas que, sob consumo mais elevado (chuveiro, por exemplo), causava substancial queda na tensão. Os aparelhos como TV usavam fontes lineares, que eram mais suscetíveis à essa queda.

O que tinha na minha casa não era exatamente como da foto, mas o voltímetro era igual, com uma lâmpada atrás. À noite, percebia-se a iluminação do instrumento. A carcaça metálica era pintada de marrom claro, quase dourado, o knob era preto e havia também uma alça para transporte, tal era o peso do transformador.

Passado todo este tempo, há necessidade ainda de usar um estabilizador? Segundo este artigo do fórum Clube do Hardware, não só este equipamento é desnecessário, mas na verdade é prejudicial. Embora os estabilizadores tenham se modernizado, o princípio básico de funcionamento dos modelos mais simples não mudou: um conjunto de relês seleciona uma das saídas do autotransformador, dependendo da tensão de entrada. Pode ser até que funcione adequadamente para fontes lineares, mas a alegada proteção para computadores PCs não passa de um mito.

Hoje muita coisa mudou. As concessionárias de energia seguem normas mais rígidas, bem como as instalações elétricas domiciliares. Os equipamentos modernos, incluindo PCs, vem utilizado fontes chaveadas que, além de terem eficiência muito maior, são projetadas para aceitar tensões de entrada numa faixa ampla, mantendo constante as tensões de saída mesmo assim. Tais fontes operam com frequência de dezenas ou centenas de kHz, portanto conseguem responder rapidamente às variações de tensão de entrada, com velocidade muito superior a de comutação dos relês eletromecânicos do estabilizador.

Sendo franco, não vejo motivos para usar os estabilizadores em equipamentos atuais. Nem nos clássicos, se considerarmos que a qualidade da oferta de energia e das instalações elétricas melhoraram com o tempo (sério, se houver uma queda muito grande de tensão com o chuveiro ligado, chame um eletricista, pois você está correndo sério risco de incêndio em sua residência!). Se quiser proteger seus equipamentos, o melhor é usar um bom filtro de linha. Os equipamentos clássicos podem ter suas fontes substituídas por mais modernas ou montadas pelo próprio hobbysta, contendo vários elementos de proteção (diodo zener, varistor, centelhador, fusível térmico, etc.). E qualquer proteção tem seus limites; mesmo fora da tomada, uma descarga atmosférica pode danificar equipamentos (devido à tensão induzida), em especial componentes MOSFET. Portanto não é um simples estabilizador que irá garantir qualquer coisa que seja.

5 comentários:

  1. Lembro sim, com certeza, em minha casa tinha vários porque meus pais moravam em SP e mudaram pra GO, e a tensão dos equipamentos domesticos todos era de 110 V e passaram a operar na rede de 220V com transformador. Não sei porque eles tinha essa carcaça de metal, lembro-me de as vezes ter sentido choque ao encostar em alguns deles... pra mim esse equipamento era meio "tenso"...

    ResponderExcluir
  2. Nem me lembro a última vez que usei um estabilizador. Já tive uns dois ou três (comprado mesmo apenas um, ainda no início dos anos 90), mas todos foram canibalizados para ceder componentes a outros projetos.

    ResponderExcluir
  3. Isso nao é um estabilizador, mas um regulador de energia. Esse ai pega a entrada e fornece X volts a mais na saida. Se entrar mais volts, sai mais volts. O estabilizador nao importa qual seja a entrada, fornece Y volts na saida.

    ResponderExcluir
  4. Também chamado de estabilizador de tensão manual. Era indispensável para quem tinha tv valvular, já que as variações da energia elétrica poderiam fazer a imagem diminuir o quadro (tamanho da imagem), variar o brilho e perder o sincronismo vertical ou horizontal por variação na emissão das válvulas. Logo que as tvs passaram a ter fontes lineares com regulador de tensão do tipo série (transistor), este problema foi minimizado.

    ResponderExcluir
  5. A ultima vez que vi um desses foi por volta de 1990, mas estabilizador e o que mais tem hoje em dia, no final das contas aquele "No-break" baratinho e um estabilizador com bateria. E a maioria dos "filtros de linha", só tem nome, se tiver sorte pega uma barato com 3 varistores e fusível.

    ResponderExcluir

Seu comentário é bem vindo, mas peço que use este espaço adequadamente.